Valter Vinagre e Alexandra Baudouin nas Residências Artísticas

O Município de Vila Nova da Barquinha vai dar continuação ao projeto “Residências Artísticas”, no âmbito do Parque de Escultura Contemporânea Almourol (PECA), com o fotógrafo da Kameraphoto Valter Vinagre e com a artista plástica Alexandra Baudouin, entre 31 de agosto e 6 de setembro de 2015.

A estreia deste novo equipamento dedicado à arte aconteceu no início de agosto, com o fotógrafo Miguel Proença, responsável pelas fotografias do catálogo do PECA.
Este projeto, uma parceria da autarquia com a Fundação EDP e o Instituto Politécnico de Tomar (IPT) prevê a realização de residências de curta duração que pretendem trazer ao concelho artistas que queiram desenvolver ações tendo em vista a discussão contemporânea, a dinamização da criatividade e a divulgação e intercâmbio com a comunidade, em diversas áreas artísticas como desenho, pintura, fotografia, vídeo, escultura, teatro, música, escrita criativa, entre outras.
O espaço que vai receber os autores durante uma semana, na Rua da Barca, ao lado do edifício do Centro de Estudos de Arte Contemporânea (CEAC) de Vila Nova da Barquinha, tem condições para receber 3 ou mais artistas. São residências com 3 quartos autónomos equipados com casa de banho, internet e onde as pessoas poderão confecionar as suas próprias refeições, incluindo um quintal onde o artista poderá estar a trabalhar ou em tempo de lazer. Resulta da recuperação de um edifício degradado, propriedade do Município, cujos custos da sua transformação representam um investimento de 177 mil euros, sendo comparticipados em 85% do valor elegível pelo QREN, no âmbito do Programa Operacional Regional do Centro (Mais Centro), e da União Europeia, através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER).



Valter Vinagre vem à descoberta de um concelho ligado ao rio e à paisagem ribeirinha, com seus usos e costumes. O fotógrafo nascido em Avelãs de Caminho, 1954, no concelho de Anadia, estudou fotografia no AR.CO – Centro de Arte e Comunicação Visual, (1986 – 1989) em Lisboa. Iniciou o seu percurso em finais dos anos 1980, realizando exposições individuais e participando em mostras e iniciativas de cariz coletivo. De início conotado com uma fotografia próxima do registo documental, o seu trabalho passou a interiorizar um exercício mais reflexivo sobre a imagem, criando discursos sobre os significados associados à paisagem, à viagem e ao lugar da cidade.
Do seu percurso salientam-se inúmeras exposições em Portugal e no estrangeiro. Tem atualmente patente ao público na Fundação EDP, em Lisboa, até ao dia 20 de setembro, a exposição “Posto de Trabalho”. Está presente em diversas coleções: Encontros da Imagem, Braga; Arquivo Fotográfico Municipal de Lisboa; Fototeca Nacional de Cuba | Havana; Festival de l’Image Ville du Mans, França; Instituto Camões, Lisboa; Musée de la Photographie – Charleroi, Bélgica; Coleção Nacional de Fotografia | Centro Português de Fotografia; BES Art Collection, Banco Espírito Santo; Fundação EDP.

Alexandra Baudouin vem trabalhar com um grupo de crianças do concelho, no âmbito da sua investigação em torno da educação artística “O que eu vejo de onde estou”, de forma a compreender melhor esta interação.
A autora nasceu em 14 de Maio de 1972. Desenvolve trabalho na investigação dos processos criativos e sua implicação no desenvolvimento individual de crianças, jovens e adultos, tendo concluído em 2012 o Mestrado em Educação Artística pela Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa.
Atualmente trabalha como assistente da Escultora Ângela Ferreira (desde 2007). Participou em diversas exposições coletivas, com destaque para “Tinta nos Nervos”, com curadoria de Pedro Vieira de Moura - Museu Berardo, Lisboa (2011) e para a participação na Expo de Aichi, no Pavilhão de Portugal, Japão (2005).

Sem comentários:

Enviar um comentário